19 de abril de 2015

Documento da Agência de Inteligência da Defesa de 2012: Ocidente facilitará ascensão do Estado Islâmico "a fim de isolar o regime sírio"

Brad Hoff

Levant Report

Tradução / Na segunda-feira, 18 de maio, o grupo conservador de fiscalização do governo Judicial Watch publicou uma seleção de documentos anteriormente classificados obtidos a partir do Departamento de Defesa e do Departamento de Estado dos EUA através de uma ação judicial federal.

Enquanto até agora reportagens da mídia mainstream estão focadas na manipulação do ataque do consulado de Benghazi pela Casa Branca, a admissão e confirmação de um "quadro maior" está contido em um dos documentos da Agência de Inteligência da Defesa que circularam em 2012: que um "Estado islâmico" é desejada em leste da Síria para efetuar políticas do Ocidente na região.

Enquanto até agora a mídia mainstream está focada nos itens relacionados ao modo como a Casa Branca tratou o ataque ao consulado americano em Benghazi, sabe-se que os documentos da Defense Intelligence Agency (DIA) [Agência de Inteligência da Defesa] que circularam em 2012 trazem uma importante admissão e confirmação em um "quadro mais amplo": que um "Estado Islâmico" é desejado no leste da Síria para efetuar políticas do Ocidente na região.

Espantosamente, o relatório recentemente desclassificado afirma que para "O OCIDENTE, PAÍSES DO GOLFO, E A TURQUIA [QUE] APOIAM A OPOSIÇÃO [SÍRIA]... EXISTE A POSSIBILIDADE DE ESTABELECER UM PRINCIPADO SALAFISTA DECLARADO OU NÃO DECLARADO NO LESTE DA SÍRIA (HASAKA E DER ZOR), E ISTO É EXATAMENTE O QUE QUER AS POTÊNCIAS QUE APOIAM A OPOSIÇÃO, A FIM DE ISOLAR O REGIME SÍRIO..."

O relatório DIA, anteriormente classificado "SECRET // NOFORN" e de 12 de agosto de 2012, circulou amplamente entre várias agências governamentais, incluindo CENTCOM, a CIA, FBI, DHS, NGA, Departamento de Estado, e muitos outros.

O documento mostra que, já em 2012, a inteligência dos EUA previu a ascensão do Estado Islâmico no Iraque e no Levante (ISIL ou ISIS), mas em vez de delinear claramente o grupo como um inimigo, o relatório prevê o grupo terrorista como um estratégico ativo dos Estados Unidos.

Enquanto um número de analistas e jornalistas têm documentado há muito tempo o papel das agências de inteligência ocidentais na formação e treinamento da oposição armada na Síria, esta é a confirmação do nível mais alto da inteligência interna dos Estados Unidos da teoria de que os governos ocidentais fundamentalmente veem o ISIS como a sua própria ferramenta para a mudança de regime na Síria. O documento agora distribuído confirma com detalhes esse cenário.

Provas forenses, provas de vídeo, além de admissões feitas por funcionários de alto nível envolvidos nas operações (ver o que disse o ex-embaixador na Síria, Robert Ford aqui e aqui) comprovaram que o apoio material que o Departamento de Estado e a CIA deram aos terroristas do ISIS ativos na Síria existia, pelo menos, em 2012 e 2013 (para um exemplo claro de "evidência forense": ver o relatório de Conflict Armament Research, organização com sede na Grã-Bretanha, que traçou as origens dos foguetes antitanque croatas que foram encontrados com o ISIS e os rastreia até um programa conjunto CIA-sauditas, graças as números de série identificáveis nas armas).

O recém divulgado relatório DIA report resume como segue os pontos relacionados ao ISI (em 2012, "Estado Islâmico no Iraque") e ao ISIS que apareceria pouco depois:

  • Al-Qaeda dirige a oposição na Síria;
  • O ocidente identifica-se com a oposição;
  • O estabelecimento de um nascente Estado Islâmico só se tornou possível com o surgimento da insurgência síria (nenhuma referência à retirada das tropas dos EUA, do Iraque, como catalisador do surgimento do EI, que é o que inúmeros políticos e especialistas têm repetido; ver seção 4. D., abaixo);
  • O estabelecimento de um "principado salafista" no leste da Síria é "exatamente" o que querem as potências exteriores que apoiam a oposição síria (que o relatório identifica como “o Ocidente, países do Golfo e Turquia”) para enfraquecer o governo do presidente Assad;
  • Sugere-se o estabelecimento de "paraísos seguros" em áreas conquistadas por insurgentes islamistas semelhantes ao modelo líbio (que geraram as chamadas “zonas aéreas de exclusão” como um primeiro ato da "guerra humanitária". Ver 7. B.);
  • O Iraque é identificado à "expansão xiita" (8. C);
  • Um Estado Islâmico sunita poderia ser devastador para um “Iraque unificado” e poderia levar a “renovar a facilitação à entrada, na arena iraquiana, de elementos terroristas vindos de todo o mundo árabe” (Ver última linha não editada em PDF completo).

___

A seguir excertos do relatório DIA de sete páginas desclassificado:


R 050839Z AGOSTO 12

...

A SITUAÇÃO GERAL:

A. INTERNAMENTE, OS EVENTOS ESTÃO TOMANDO DIREÇÃO CLARAMENTE SECTÁRIA.

B. OS SALAFISTAS [sic], A FRATERNIDADE MUÇULMANA E A AL-QAEDA NO IRAQUE SÃO AS PRINCIPAIS FORÇAS QUE CONDUZEM A INSURGÊNCIA NA SÍRIA.

C. OCIDENTE, PAÍSES DO GOLFO E TURQUIA APOIAM A OPOSIÇÃO; ENQUANTO RÚSSIA, CHINA E IRÃ APOIAM O REGIME.

...

3. Al QAEDA - IRAQUE (AQI):... B. AQI APOIOU A OPOSIÇÃO SÍRIA DESDE O INÍCIO, IDEOLOGICAMENTE E ATRAVÉS DA MÍDIA...

...

4. D. HOUVE UMA REGRESSÃO DA AQI NAS PROVÍNCIAS OCIDENTAIS DO IRAQUE DURANTE OS ANOS DE 2009 E 2010; MAS, DEPOIS DO SURGIMENTO E CRESCIMENTO DA INSURGÊNCIA NA SÍRIA, AS POTÊNCIAS RELIGIOSAS E TRIBAIS NA REGIÃO COMEÇARAM A SIMPATIZAR COM O LEVANTE SECTÁRIO. ESSA SIMPATIA APARECEU EM SERMÕES DAS SEXTAS-FEIRAS, QUE CONVOCAVAM VOLUNTÁRIOS PARA APOIAR OS SUNITAS [sic] NA SÍRIA.

... 

7. HIPÓTESES EM AVALIAÇÃO SOBRE O FUTURO DA CRISE:

A. O REGIME SOBREVIVE E TEM CONTROLE SOBRE O TERRITÓRIO SÍRIO.

B. OS EVENTOS CORRENTES LEVAM A GUERRA "POR PROCURAÇÃO" (...): FORÇAS DA OPOSIÇÃO ESTÃO TENTANDO CONTROLAR AS ÁREAS NO LESTE (HASAKA E DER ZOR), ADJACENTES ÀS PROVÍNCIAS NO OESTE DO IRAQUE (MOSUL E ANBAR), ALÉM DAS FRONTEIRAS TURCAS VIZINHAS. PAÍSES OCIDENTAIS, OS ESTADOS DO GOLFO E A TURQUIA ESTÃO APOIANDO ESSES ESFORÇOS. ESSA É A HIPÓTESE MAIS PROVÁVEL SEGUNDO OS DADOS DE EVENTOS RECENTES, QUE AJUDARÃO A PREPARAR PARAÍSOS SEGUROS, SOB A PROTEÇÃO DA LEI INTERNACIONAL, SEMELHANTE AO QUE ACONTECEU NA LÍBIA, QUANDO BENGHAZI FOI ESCOLHIDA COMO CENTRO DE COMANDO DO GOVERNO TEMPORÁRIO.

...

8. C. SE A SITUAÇÃO SE DESDOBRAR, HÁ POSSIBILIDADE DE ESTABELECER UM PRINCIPADO SALAFISTA DECLARADO OU NÃO DECLARADO NO LESTE DA SÍRIA (HASAKA E DER ZOR), E ISSO É EXATAMENTE O QUE QUEREM AS POTÊNCIAS QUE ESTÃO APOIANDO A OPOSIÇÃO, PARA ISOLAR O REGIME, QUE CONSIDERAM COMO A PROFUNDIDADE ESTRATÉGICA DA EXPANSÃO XIITA (IRAQUE E IRÃ).

8. D. 1. ...O ESTADO ISLÂMICO TAMBÉM PODE DECLARAR UM ESTADO ISLÂMICO ATRAVÉS DE SUA UNIÃO COM OUTRAS ORGANIZAÇÕES TERRORISTAS NO IRAQUE E SÍRIA, O QUE CRIARÁ GRAVE PERIGO NO QUE DIZ RESPEITO À UNIFICAÇÃO DO IRAQUE E PROTEÇÃO DE SEU TERRITÓRIO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário