26 de julho de 2017

"A beleza de nossas armas" na guerra contra o Iêmen

por George Capaccio

CounterPunch: Tells the Facts and Names the Names

“Oh, Senhor, nosso Deus, ajudai-nos a rasgar a carne dos soldados inimigos em postas sangrentas com nossas bombas; ajudai-nos a cobrir seus campos alegres com as formas pálidas de seus patriotas mortos; permiti-nos abafar o trovão dos canhões com os feridos retorcendo-se de dor; ajudai-nos a destruir seus lares humildes com um furacão de fogo; ajudai-nos a arrancar com dor inútil o coração de viúvas inocentes; ajudai-nos a deixá-las sem lar a vagar, com trapos, fome e sede, na companhia dos filhos pequenos, abandonadas pelas ruínas de sua terra desolada, enfrentando o calor do sol de verão e os ventos gelados do inverno, o espírito abatido, exaustas de aflição, implorando a Vós o refúgio da tumba e vê-lo negado... por nós que Vos adoramos. Senhor, matai suas esperanças, estiolai suas vidas, prolongai sua amarga peregrinação, tornai pesados os seus passos, molhai com suas lágrimas o seu caminho, manchai a branca neve com o sangue de seus pés feridos! Imploramos a quem é o Espírito do amor, refúgio e amigo fiel de todos os que sofrem e buscam Sua ajuda com humildade e contrição. Atendei à nossa prece, oh, Senhor, e Vossas serão a gratidão, a honra e a glória por todos os séculos dos séculos, Amém.” 
– Mark Twain, Prece pela Guerra

Tradução / Neste verão de nosso amor pela inefável glória e grandeza da nossa República, vamos lembrar as altissonantes palavras de Mark Twain e de sua “Prece pela Guerra”, tão terna e misericordiosa. Vamos elevar nossas graças a Deus e seus cooperadores múltiplos, por fazer de nossa nação esta excepcional fonte de sabedoria, saúde e armamentos. Vamos louvar em voz alta nossos fabricantes de armas por seu altruísmo, seu desprezo pelos lucros e seu compromisso pela continuação da boa guerra que nenhum preço é alto demais para pagar, com suas vidas perdidas, nenhuma tão pequena que não possa ser reduzida a cinzas, na eterna busca pela segurança nacional, hegemonia global e controle inquestionável dos recursos vitais do mundo inteiro.

Curvemo-nos frente aos cavalheiros e damas do Pentágono e da CIA, e ante seus mestres soberanos na Casa Branca e na morada dos legisladores cuja moralidade profunda e compromissada é claramente evidente, por suas decisões de providenciar bilhões de dólares em armas para os déspotas esclarecidos da Arábia Saudita. Deus proteja o Rei Salman e seus ministros de Estado, que reinam sobre mares de petróleo, aquele lubrificante pegajoso que mantém o ronronar de nossos motores e nossa economia bombando com os frutos da exploração e da expansão do capitalismo.

Agora, enquanto o mundo se torna cada vez mais quente, os mares cada vez mais altos e os deuses repousam em suas almofadas de nuvens conspurcadas de gases do efeito estufa, levantemos nossa voz em louvor à nossa união inquebrantável com a Casa de Saud, guardiã das chamas eternas que queimam em seus desertos recheados do precioso petróleo. Senhor nosso Deus, faça com que esses poços titânicos continuem bombeando e mantenha o fluxo de numerário na direção correta dos cofres da Raytheon, Textron, General Eletric e nossos irmãos de armas. Mantenha Senhor os nossos mísseis e bombas em sua queda incessante, desabando como estrelas enfeitiçadas nos mercados, mesquitas, aldeias, fazendas e campos do Antigo Iêmen, o país mais pobre do Oriente Médio, bem ali ao lado do mais rico, a Arábia Saudita. Oh Deus, nos dê força e determinação para continuar no apoio irrestrito para essa coligação liderada pelos sauditas em seus ataques sem peias contra o povo indefeso do Iêmen e contra os lutadores rebeldes em seu seio.

Acima de tudo, Senhor, não perca de vista a cascata infinita e incessante de tweets caindo sobre nossos ouvidos e celulares ungidos, aos quais prezamos tanto, e dos quais não nos desviamos para não correr o risco de perder o último tweet, e assim nos expondo aos ventos raivosos que rugem ao nosso redor, noticiando o Reino do Mal. Nunca permita que nos esqueçamos do dever de amarrar Donald Trump no pelourinho a cada oportunidade, colocando seus pés a queimar no fogo lento pelo crime de conluio com o Império do Mal. Deixe-nos sempre cientes dos insultos que desabam sobre Trump através de nossos colegas no alto de seus púlpitos da MSNBC e de seus peritos que tudo sabem e tudo veem, que perscrutam sob cada pedra e cada rocha, e que, em cada fenda do Estado de Segurança Nacional conseguem perceber a pista maliciosa da invasão russa.

Dê-nos Senhor, a força para fechar nossos corações frente aqueles que tentam enfraquecer nossa firmeza, usando o ácido corrosivo da compaixão inútil. Faça de nós como ao corajoso Ulisses, que resistiu à canção das sereias. Que não nos sintamos tentados a atender aos gritos dos necessitados em locais como o Iêmen, onde nossa grandeza e generosidade, nossas armas e nosso apoio diplomático permitem que a coalizão saudita continue a trazer o mítico “furacão de fogo” contra essa terra torturada e pobre.

Que seja feita a sua vontade, Senhor. Foi Você que ordenou esse sofrimento todo, essa mortandade de carne e espírito, essa imposição implacável de dor contra o povo do Iêmen. Na verdade, o que está acontecendo no Iêmen é apenas o cumprimento de sua Palavra Sagrada, a qual Você ordenou para sinalizar Sua presença no mundo e da graça e mercê que flui incessantemente de Seu coração imaculado. Mesmo que as pessoas do Iêmen clamem por misericórdia. Embora suas famílias, aos milhões, tenham perdido suas moradas, seus meios de subsistência, seu futuro, sua fé em uma vida melhor. Apesar da fome, da pestilência e da morte que campeia horrenda em sua terra enquanto os bombardeios aumentam de intensidade e selvageria a cada dia que passa, tudo é como deve ser, tudo como está escrito no Livro do Tempo.

Oh Senhor nosso Deus, ajude para que compreendamos e aceitemos a absoluta necessidade de desempenhar o papel que nos foi dado para entregar ao povo do Iêmen a Sua Onisciência e Bondade, pois Você entende a justiça inefável e suprema da Guerra e a devastação que resultou da assistência do nosso congresso, nosso presidente e nossos militares. Auxilia-nos a estabelecer para os membros equivocados de nossa Câmara dos Deputados (que votaram contra nossa participação na Guerra do Iêmen) o caminho de volta para a justiça, do nosso apoio para a Arábia Saudita e seus aliados tementes a Deus. Com certeza, esses políticos não conseguiram apreender em sua totalidade a lógica divina por trás de Seus desígnios para o Iêmen e todo o Oriente Médio.

Não são, Oh Senhor, as lágrimas das crianças tornadas órfãs, sendo criadas por mães tornadas viúvas, exemplos de coisas maiores, de um tempo em que a paz e a abundância reinarão incontestes sobre o povo do Iêmen, enfim subjugado para colher as bênçãos de Sua recompensa? Como foi no Iraque e na Líbia, assim será no Iêmen, na Síria e no Afeganistão e em todas as demais nações onde nossos abençoados homens e mulheres em uniformes levam a luta contra todo tipo de tirania, espalhando pela terra as joias preciosas da Liberdade e da Democracia.

Venha em nosso auxílio, Senhor, para que não nos oponhamos nem condenemos a cumplicidade de nossa nação na destruição do Iêmen e na criação da mais severa crise humanitária do mundo atual. Que continuemos com a carga insensível de nossa vida diária sem sentir sequer uma pontinha de preocupação com as vítimas inocentes de nossos líderes de mente avançada e sua sábia estratégia para uma guerra sem fim contra o terror. Em vez disso, vamos cantar e louvar a “beleza e eficiência de nossas armas”, a nobreza de nossas causas. Com Sua ajuda, Oh Senhor, teremos sucesso no emprego de todos os instrumentos da guerra para realizar Seus santos planos de paz para toda a Terra.

São tolos aqueles que não conseguem enxergar a clareza de Seu amor pela humanidade. As armas e munições que providenciamos para os sábios líderes da Arábia Saudita e seus aliados regionais com certeza trabalham para promover Sua visão mais complacente daquilo que nossa raça consegue alcançar. Veja a beleza das crianças inocentes sofrendo em camas de hospital ou o abraço dolorido de suas mães, seus corpos magros como papel se extinguindo nas chamas da fome e da doença, enquanto os aviões despejam carga após uma carga de virtuosas bombas e os camponeses que percorrem gritando o campo para ver se cobrou algum de seus entes queridos. Isso não é prova de sua imersão radical nos assuntos dos homens? É ou não é uma prova de Sua profunda imanência nos assuntos dos homens?

Oh Senhor nosso Deus, ajuda para que permaneçamos em silêncio ante tanto sofrimento, que evitemos lançar sobre ele nossos olhos, que continuemos a fingir que nossas vidas insignificantes não são os mesmos poderes em ação, mesmo que a história demonstre o contrário, e os profetas de tempos imemoriais tenham pedido que as pessoas abrissem seus corações para ouvir os gritos de dor de seus irmãos e irmãs, que fizessem tudo ao seu alcance para curar os doentes, abrigar os despossuídos e colocar fim à crueldade de todas as guerras. Finalmente, Senhor nosso Deus, ajude a cada um de Seus servos para ignorar a sabedoria das eras passadas e as advertências daqueles que podem talvez se opor à Sua vontade e à vontade dos Seus servos em todos os governos da Terra, os quais calculam a própria grandeza pelo número de cadáveres que se amontoam aos seus pés.

Nenhum comentário:

Postar um comentário